PERSONA

José Pires Alvim 

 Zézico Alvim

Um dos corações mais boníssimos que os atibaianos conheceram

Descendente direto de Jerônimo de Camargo, fundador de Atibaia, nasceu em 30 de março de 1902. Era filho do Major Juvenal Alvim e de dona Gertrudes Pires de Camargo.

Em 1910 iniciou seus estudos no Grupo Escolar José Alvim1, que fora construído e inaugurado em 1905 por idealismo de seu pai e avô. Fez cursos preparatórios em Atibaia, sob a orientação do Monsenhor Kohly e do Professor Arruda, entre outros, que se destinavam à preparação para os exames de admissão aos cursos ginasiais.

Ingressou em 1915 no Colégio Arquidiocesano de São Paulo, onde se formou em 1919, com distinção. Já revelava nessa época uma bondade extremada, sendo benquisto e estimado por todos os colegas e professores.

Concluído o Ginasial em 1919, abandonou os estudos formais para se dedicar às atividades ligadas ao comércio, regressando à sua terra natal. Seu primeiro empregador foi seu próprio pai, que possuía uma Beneficiadora de Café, da qual Zezico Alvim se tornou comprador e vendedor. Dedicou-se a essa atividade durante toda a sua existência, tendo sido um grande orientador e financiador dos cafeicultores da região.

Casou-se em 1924 com Rita Lourdes Cardoso de Almeida, de tradicional família paulista, filha de Thomas Cardoso de Almeida e de Rita Franco Cardoso de Almeida. Rita Lourdes era professora formada pela Escola Normal do Brás, em São Paulo, na turma de 1921.

Em 1932 participou da revolução Constitucionalista, como expedicionário, recebendo medalha por sua valorosa atuação. 

Em 1936 é eleito, pela primeira vez, vereador à Câmara Municipal de Atibaia, ocupando o cargo de Presidente para o biênio 1936 a 1937.

Recusou a indicação de sua candidatura a Deputado Estadual. Em sua vaga indica e apóia seu irmão Joviano que foi eleito Deputado Estadual da Primeira Constituinte.

Nas eleições realizadas em 9 de novembro de 1947 foi eleito vereador à Câmara Municipal de Atibaia como segundo candidato mais votado de seu partido (PSD). 

Nas eleições realizadas em 1952 é reeleito vereador, tendo sido o candidato mais votado, com 335 votos, e aclamado Presidente da Câmara Municipal de Atibaia, para o biênio 1952 e 1954. 

Em 1956 reelege-se novamente a vereador. Em 1959 participa, pela última vez, das eleições pela coligação PR – PSD, candidatando-se e recebendo votação expressiva para desempenhar, com dedicação e lisura, o honroso mandato de vereador para o período de 1960 a 1963.

No ano de 1963 deixa a carreira política e passa a dedicar-se em tempo integral às obras assistenciais e aos carentes. Não se pode esquecer, também, de sua valiosa colaboração na manutenção das tradições folclóricas regionais e à cultura de modo geral.

Como artesão da caridade, empregou-se diariamente em atividades filantrópicas, beneméritas e sociais, que resultaram em grande benefício para aliviar as dores e os sofrimentos dos mais necessitados:

  • Irmão Benemérito da Santa Casa de Misericórdia de Atibaia. Foi seu Provedor durante vários anos. Dedicou-se a essa Irmandade, com muito amor e desprendimento, por quarenta e seis anos. Doou, juntamente com seu irmão Joviano, a Capela de São José (Capela da Santa Casa) e uma casa de aluguel, cujos rendimentos servem para a manutenção da Irmandade. Foi, também, autor do projeto e muito colaborou na execução das obras de ampliação e construção do Hospital São José que hoje integra a Santa Casa de Misericórdia de Atibaia;

  • Foi um dos fundadores da Vila de São Vicente de Paulo, em 1930, entidade de amparo aos idosos carentes;

  • Realizou, durante 50 anos consecutivos, o famoso Leilão de São Sebastião que acontece todos os anos no dia 20 de janeiro e cujos benefícios monetários são revertidos à Paróquia de Atibaia;

  • Fundou, em 1925, a Banda de Música de Atibaia mantendo-a até a sua morte em 1979;

  • Benemérito do Lar Dona Mariquinha do Amaral, órgão de amparo às crianças desamparadas;

  • Pelo folclore conservou uma das mais antigas instituições: a Congada de São Sebastião que em todas as datas comemorativas, cívicas e religiosas, realiza desfiles e embaixadas pelas ruas da cidade e revivem uma tradição da época do Império;

  • Estimulou o cinema na cidade do qual foi um de seus fundadores.

Amigo de tudo o que se referia a Atibaia, prestou valiosa colaboração para a criação do Museu Municipal João Batista Conti, no qual o seu retrato enobrece a galeria dos políticos locais.

Envolvido com os problemas de educação, interferiu na doação de terrenos para que neles fossem construídos os seguintes colégios:

  • Escola Estadual Major Juvenal Alvim;

  • Escola de Comércio Gertrudes Pires Alvim.

De se destacar, entre outras, as homenagens que recebeu em vida;

  • Comenda da Ordem do mérito Rural;

  • Comenda da Sociedade Geográfica Brasileira;

  • Medalha de Honra pelos relevantes serviços prestados à comunidade, oferecida pelo Lions Clube, na gestão do Sr. Edson Danillo Dotto;

  • Placa de Prata de Irmão Benemérito da Santa Casa de Misericórdia de Atibaia.

Aos vinte e quatro de dezembro de 1979, José Pires Alvim, o estimado e querido Zezico, falece em Atibaia, terra que tanto amou e, como poucos, soube enobrecer. Deixou quatro filhos e treze netos.

Várias homenagens foram prestadas em sua memória, destacando-se a estátua erigida no canteiro central da praça Guilherme Gonçalves e designado patrono da Escola Municipal localizada na Rua Emídio Fazzio, no Bairro de Alvinópolis.

Zezico e Rita Lourdes

 

A foto acima mostra uma grande parte da família de Zezico Alvim. Clique na foto para ampliá-la.
Família de Zezico Alvim comemorando as bodas de ouro do casal em Aparecida do Norte

 

Lembrança das Bodas de Ouro do casal Zézico e Rita Lourdes

Um esboço biográfico 

1902 

Nasceu em Atibaia, Estado de São Paulo, no dia 30 de março, José Pires Alvim, filho do Major Juvenal Alvim, então chefe político e fazendeiro responsável por enorme desenvolvimento regional; é descendente direto de Jerônimo de Camargo, fundador de Atibaia. Veja aqui uma foto dos filhos do Major Juvenal Alvim

De 1902 à 1910, Zezico Alvim, viveu sua infância em Atibaia como qualquer criança de sua época. 

1910 

Ingressou no Grupo Escolar José Alvim (praça Guilherme Gonçalves) para ali obter suas primeiras letras, saindo após alguns anos, para cursar um preparatório de alto conceito. Pelo bom nível do corpo docente que contava com o Monsenhor Colli e o Professor Arruda entre outros, esse curso se destinava a facilitar a passagem do primário para o antigo ginásio. 

1915 

Frequentou o Colégio Arquidiocesano de São Paulo (Av. Tiradentes - São Paulo - Capital), destacando-se já pela excelente disciplina e espírito generoso, tanto com seus mestres como com seus colegas. 

1919 

Abandonou os estudos formais para se dedicar às atividades ligadas ao comércio, regressando à sua terra natal. Seu primeiro empregador foi seu próprio pai, que possuía uma Beneficiadora de Café, da qual Zézico Alvim se tornou comprador e vendedor. Essa atividade o seguiria pelo resto da vida. 

1924 

Contraiu núpcias (14 de agosto) com Rita Lourdes Cardoso de Almeida, descendente de tradicional família paulista, filha de Thomas Cardoso de Almeida e de Rita Franco Cardoso de Almeida. Rita Lourdes era professora formada pela Escola Normal do Brás (São Paulo) na turma de 1921. Exerceu a profissão, ininterruptamente até 1951, no Grupo Escolar José Alvim, fundando ali a chamada Caixa escolar e o Gabinete Odontológico que oferecem até hoje assistência dentária e merenda a toda população escolar de Atibaia. Rita Lourdes faleceu em novembro/1995. 

1932 

José Pires Alvim participa da revolução de 1932, como expedicionário, recebendo medalha por sua valorosa atuação. 

1946 

Zézico Alvim recusa a nomeação de sua candidatura a Deputado Estadual, apoiando entretanto seu irmão, Joviano Alvim, que no mesmo ano é eleito para o cargo de Deputado Estadual da Primeira Constituinte, Joviano foi membro da Comissão Diretora do antigo PRP e do PDS, onde exerceu o cargo de Diretor Tesoureiro por oito anos seguidos.  

1947 

Nas eleições realizadas (a nove de novembro) José Pires Alvim foi eleito vereador da Câmara Municipal de Atibaia como segundo candidato mais votado de seu partido (PSD). 

1955 

Novamente candidato pelo PRP, foi eleito vereador e aclamado Presidente da Câmara. Com 335 votos nominais, foi também o vereador mais votado. 

1959 

Pela coligação PR - PSD foi outra vez o candidato mais votado e Presidente da Câmara Municipal de Atibaia. Após o término desta legislatura deixa a carreira política e passa a se dedicar ao seu maior empreendimento que, sem dúvida, foram as obras assis tenciais, a manutenção das tradições folclóricas regionais e um envolvimento parcial, porém significativo, na vida social e política local. Seria pretensioso e impossível citar todas as suas obras. Como artesão da caridade, empregou-se diariamente em ativ idades como : 

  • Incentivador da Santa Casa, juntamente com seus tios e primos, Ana Pires e Flávio Pires de Camargo. Dedicou-se à esta casa por quarenta e seis anos de desvelados serviços e nos seus últimos vinte anos foi seu Provedor. Teve durante esse período os seg uintes companheiros de irmandade : José Alves do Amaral, Anselmo Tamassia, Osvaldo Barreto, Marco Vinicio Chiocchetti e Dr. José de Freitas Montemor.
  • Doou, junto com seu irmão Joviano Alvim, a Capela de São José (Capela da Santa Casa) e uma casa de aluguel, cujos rendimentos servem para a manutenção da Santa Casa de Misericórdia de Atibaia.
  • Autor do pedido, projeto e execução das obras de ampliação e construção do Hospital São José que hoje integra a Santa Casa.
  • Fundador da Vila de São Vicente de Paula, em 1930, casa de amparo à velhice e aos problemas dos idosos em geral.
  • Realizou, durante 50 anos consecutivos, o famoso Leilão de São Sebastião que acontece todos os anos no dia 20 de janeiro e cujos benefícios monetários são revertidos a Paróquia de Atibaia.
  • Fundou a Banda de Música de Atibaia, em 1925, mantendo-a até a sua morte em 1979.
  • Benemérito do Lar Mariquita Alves do Amaral, órgão de amparo às crianças pobres.
  • Pelo folclore conservou uma das mais antigas instituições, a Congada de São Sebastião que em todas as datas comemorativas, cívicas e religiosas, realiza passeatas e embaixadas que remontam uma tradição da época do Império.
  • Estimulou o cinema da cidade do qual foi o seu fundador.
  • Amigo de tudo o que se referia a Atibaia, deixou nítida colaboração no Museu Municipal João Batista Conti, no qual o seu retrato enobrece a galeria dos políticos locais.
  • Envolvido com os problemas de educação, interferiu na doação de terrenos para que nele fossem construídos os seguintes colégios :
  1. Escola Estadual Major Juvenal Alvim
  2. Escola de Comércio Gertrudes Pires Alvim

Entre outras homenagens que recebeu em vida estão:

  1. Comenda da Ordem do mérito Rural
  2. Comenda da Sociedade Geográfica Brasileira
  3. Medalha de Honra pelos relevantes serviços prestados a comunidade oferecida pelo Lions Clube, na gestão do Sr. Edson Danillo Dotto
  4. Placa de Prata de Irmão Benemérito da Santa Casa de Misericórdia de Atibaia

1979 

Aos vinte e quatro de dezembro de 1979, José Pires Alvim falece em Atibaia, sua terra que tanto amou e como poucos soube enobrecer. Deixou 4 filhos e 13 netos que, sem exceção, o trazem na memória como um verdadeiro exemplo de ser humano.

Homenagens:

Singela homenagem dos netos ao avô querido:

 
NA MÍDIA
   Notícias do dia
   Banco de Notícias
 
 
Newsletter
Cadastre-se
    Email:

DESTAQUES
 
Imóveis
Oportunidades para locação
   
Casarão no centro para qualquer tipo de negócio

Veja mais informaçães

 
Tecnologia
Baixe nosso app no seu celular e acesse as informações da cidade
 
Jornais
 
Clique aqui para acessar as versões digitais do Jornal Atibaia Mania
 
Especiais
 
Confira matérias exclusivas do Atibaia Mania
 
 
 
 
Desenvolvido para visualização em resolução mínima de 1024x768.