ARTIGOS

Morreu o Pitão

Lembro-me bem do seu andar desengonçado, do seu rosto vincado pelas rugas do tempo, das intempéries e do sofrimento. Afinal, ele era um corintiano.

Mas aquele andar, aquele jeitão de Carlitos com jornais velhos num braço e um filão no outro, era na realidade um caricata social.

Sua corintianice era antológica. E porque não? Era um direito inalienável torcer pelo time do coração.

Suas histórias sobre o coringão eram muito criativas:

_ Quando o Corinthians foi jogar no interior num dia chuvoso e perdeu ele já chegou dizendo: “ nois num semo pato pra joga na água”.

Quando o Sócrates foi para a Itália eu comentei: - pois é Pitão, perdemos um bolão. Ele pensou, pensou e respondeu: “ ele vorta, num se costuma lá”.

Antes de comprar o Serginho, ele dizia que era macumbeiro, depois que foi negociado ele disse: “ ta bom tamem” .

Enfim, entre tantas outras histórias, a verdade é que ele tinha feito uma escolha definitiva: ser corintiano. Para ele o Corinthians representava muitas coisas: a falta da família, pela impossibilidade de mantê-la, sem recursos, desempregado, enfim o Corinthians era tudo o que ele tinha para amenizar suas desgraças e solidão.

Mas vamos refletir sobre tudo isso.

O Pitão é um brasileiro a mais dos que morrem todos os dias de frio e fome por esse Brasil afora.

Será que todos precisam aliviar suas misérias escolhendo um time, um cantor ou um outro artista?

Será que precisamos distorcer a nossa realidade para poder suporta-la?

O que Pitão inconscientemente tentava simbolizar através do seu comportamento, é a completa alienação do ser humano numa sociedade injusta e caótica.

Mas mesmo assim, viveu e morreu de uma forma pacífica e até certo ponto filosófica.

Nas suas andanças pela cidade ele parecia tecer uma grande malha, um elo de união entre as pessoas que diariamente o encontravam, e o viam na só como um dos mais fanáticos torcedores, mas também como um irmão brasileiro, embora carente e subnutrido.

Esperamos que com o Pitão não tenham também morrido as esperanças de um Corinthians melhor, mas principalmente de um Brasil maior, mais justo e democrático.

Juvenal Alvim Netto

 
 
CINE ATIBAIA

Veja a programação de filmes da semana

Confira a programação

TEMPO

 
RECEBA

Newsletter
Cadastre-se
    Email:
DESTAQUES
   
Tecnologia
Baixe nosso app no seu celular e acesse as informações da cidade
 
Jornais
 
Clique aqui para acessar as versões digitais do Jornal Atibaia Mania
 
Especiais
 
Confira matérias exclusivas do Atibaia Mania
 
 
Desenvolvido para visualização em resolução mínima de 1024x768.