GOVERNO
 
Confirmado!!!

O rombo no SAAE Atibaia atingiu níveis extratosféricos....
 
 Veja abaixo os resultados, dos últimos 4 anos, de umas das principais empresas geridas pela Prefeitura de Atibaia 


Todas informações estão disponíveis no site do SAAE Atibaia. 

 

Compilamos o que é mais relevante pois o povo de Atibaia precisa ter noção do tamanho do estrago que a atual gestão está produzindo na mais importante empresa pública de Atibaia.




Vale ressaltar o seguinte:

1) 2012 foi o último ano do Govermo PV (Denig);

2) 2013, 2014 e 2015 foram anos do Governo Saulo;

3) se comparamos as informaões de 2014 com 2012 o prejuízo creceu cerca de 5 vezes;

4) em 2015 o rombo foir MUITO maior, ou seja: cerca de 10 vezes se comparado a 2012;

5) fica a pergunta: será que em 2016 esse rombo vai crescer nesse ritmo? Atingindo mais de 24 milhóes ? Vamos ficar de olho!!!

Veja o pronunciamento da Presidente/Superintendente do SAAE Atibaia, Fabiane Santiago, que foi à Câmara de Vereadores prestar conta sobre esse assunto

 :

 

 

Resumimos e comentamos as principais justificativas apresentadas pela Fabiane no vídeo acima:

 

I) o conceito de défict "contábil e orçamentário": Fabiane inicia suas explicações citando esses termos que, a principio, pode gerar algum tipo de mau entendimento. Analisando os exemplos seguintes citados por ela, concluímos que o que se pretendia dizer é que existem duas formas de se analisar o desempenho de uma empresa: pelos critérios de caixa ou competência. Informações contábeis, como os DREs (Demonstrativo de Resultado do Exercício) apresentados pelo SAAE, levam em consideração informações com regime de competência e não de caixa (o de caixa é a representação de entradas e saídas efetivas de uma empresa e competência representa as informações de compromissos assumidos no período independentemente do fato se os valores foram efetivamente recebidos ou pagos. Por exemplo: se você compra uma televisão de R$ 2.000,00, e paga e, 4 vezes (sendo a primeira a vista), pelo regime de competência você gastou R$ 2 mil no mês, mas pelo regime de caixa você gastou R$ 500,00 no mês ficando os outros R$ 1.500,00 a serem pagos em 3 parcelas nos meses seguintes).

   

II) Depreciação: este é um conceito contábil utlizado para valorizar empresas e NÃO representa, de fato, um desembolso da empresa naquele período (ou seja, esses valores não saem do caixa do SAAE). Porém há algum equívoco nas declarações de Fabiane quando ela cita que a empresa foi transformada em uma Companhia e que esses valores não eram computados antes de 2012. Veja abaixo os valores de Depreciação dos últmos 4 anos do SAAE (retirados dos DREs de cada ano).

   

Depreciação no período

   

2012 ==> R$ (-) 1.678.369,23

2013 ==> R$ (-) 1.671.442,05 (-0,41% em relação ao ano anterior)

2014 ==> R$ (-) 1.777.229,31 (+6,33% em relação ao ano anterior)

2015 ==> R$ (-) 1.786.355,44 (+0,51% em relação ao ano anterior)

   

Portanto, diferente do que ela afirma, esses valores já faziam parte do DRE da empresa em 2012. Pode-se até analisar o resultado do SAAE diminuindo-se esses valores em todos os anos. De qualquer forma, isso não pode ser explicado como algo que contribuiu decisivamente para os resultados negativos da empresa.

   

III) Provisão de férias: esses valores são provisionados e entram naqueles conceitos de caixa e competência cidados no item I acima. São compromissos efetvos da empresa e, portanto, não podem, de forma alguma, ser desconsiderados em qualquer análise de desempenho empresarial.

   

IV) Mudança de autarquia para empresa gerando uma carga tributária maior: não conseguimos encontrar diferenças representativas nesses itens apresentados nos DREs do SAAE. Veja os valores relacionados:

   

Impostos incidentes

   

2012 ==> (-) 3.422.474,55

2013 ==> (-) 3.726.623,00 (+8,89% sobre o ano anterior)

2014 ==> (-) 3.898.936,19 (+4,62% sobre o ano anterior)

2015 ==> (-) 4.172.428,53 (+7,01% sobre o ano anterior)

Obs.: essa linha está diretamente ralacionada ao faturamento da empresa (visto que as variações são exatamente iguais às da linha de receitas - item VI abaixo).

   

Despesas tributárias

   

2012 ==> (-) 9.381,18

2013 ==> (-) 133.527,77 (mais que 10 vezes que o valor do ano anterior)

2014 ==> (-) 114.131,34 (-14,53% sobre o ano anterior)

2015 ==> (-) 25.645,20 (-77,53% sobre o ano anterior)

   

Provisão IRPJ

   

2012  ==> zero

2013 ==> (-) 50.132,97

2014 ==> (-) 53.893,97

2015 ==> zero

   

Provisão CSLL

   

2012 ==> zero

2013 ==> (-) 20.207,87

2014 ==> (-) 21.561,83

2015 ==> zero

   

Obs.: apesar das variações serem representativas, sob o ponto de vista percentual, de um ano para o outro, os valores em R$ não podem ser utilizados como justificativa para o rombo apresentado pelo SAAE (vistos são baixo em relação ao faturamento.

   

V) Contrato de PPP com a empresa Cab: é necessário esclarecer melhor o que significa esse contrato. Se o investimento não está sendo feito, por que o contrato ainda está em vigor ? Qual é o real objetivo dessa PPP (Parceria Público Privada). Fabiane afirma que desde setembro de 2015 o SAAE não está pagando mas, se o contrato continua em vigor, mais dia, menos dia, os valores deverão ser pagos... Fabiane afirma, também que esse contrato foi realizado pela gestão anterior mas que passou a valer apenas a partir de 2013. Imaginamos que esse valor deve estar incluído no item Custos operacionais:produtos e serviços. Analisando os DREs verificamos que essa é a conta mais representativa em termos de custos para a empresa, e que teve um crescimento expressivo na atual gestão:

   

Custos operacionais:produtos e serviços.

   

2012 ==> (-) 9.082.256,04

2013 ==> (-) 10.585.951,37 (+15,56% sobre o ano anterior)

2014 ==> (-) 14.424.691,88 (+36,26% sobre o ano anterior)

2015 ==> (-) 19.447.392,92 (+34,82% sobre oano anterrior)

Obs.: a comparação de 2015 com 2012 dessa linha apresenta um crescimento de 114,13% em 3 anos

   

 VI) Diminuição de receitas: os DREs não apresentam essa informação, muito pelo contrário, veja relação abaixo:

   

2012 ==> R$ 36.999.559,76

2013 ==> R$ 40.289.764,40 (+8,89% sobre o ano anterior)

2014 ==> R$ 42.153.260,59 (+4,63% sobre o ano anterior)

2015 ==> R$ 45.107.431,88 (+7,01% sobre o ano anterior)

   

VII) Taxa de lixo impactando no resultado negativo: é necessário abrir essa informação para população de forma mais analítica. Onde isso está representado no DRE ? Qual é o valor ? Qual é o impacto real ?

   

IX) Novo contrato com a Prefeitura de Atibaia que vai passar a pagar pelo consumo de Água: essa é a parte que deve chamar mais a atenção da população pois, na verdade, equivale a uma terceirização do prejuízo do SAAE, apenas trocando de bolso visto que trata-se de uma empresa que pertence à cidade e NUNCA houve essa cobrança! Não faz o menor sentido tirar de um bolso para colocar no outro. Segundo Fabiane informou o contrato já representa cerca de R$ 300 mil por mês para a Prefeitura (R$ 3.600.000.00  por ano).

   

   

   


 


 






 
   


 
NA MÍDIA
   Notícias do dia
   Banco de Notícias
 
 
Newsletter
Cadastre-se
    Email:

DESTAQUES
 
Imóveis
Oportunidades para locação
   
Casarão no centro para qualquer tipo de negócio

Veja mais informaçães

 
Tecnologia
Baixe nosso app no seu celular e acesse as informações da cidade
 
Jornais
 
Clique aqui para acessar as versões digitais do Jornal Atibaia Mania
 
Especiais
 
Confira matérias exclusivas do Atibaia Mania
 
 
 
 
Desenvolvido para visualização em resolução mínima de 1024x768.