ENTREVISTA

     Beto Tricoli
Candidato a Deputado Estadual

 

Perfil

Nome: José Roberto Tricoli

Idade: 48 anos

Formação: Arquiteto e Urbanista

Família: Casado com Maria Fernanda, pai de Flávia, Tito e Luca.

Naturalidade: Atibaia

Hobby: Atualmente cozinhar. Gosto muito de ler, já fui mais de poesia e pintura... Também já fui bom de trilha... fui!

Eleições 2010

AM - Você vai concorrer nas eleições 2010 a que cargo?

BT: No último dia 31 de março me desliguei do cargo de secretário de Urbanismo e Meio Ambiente para pleitear a indicação de minha candidatura a Deputado Estadual  nas convenções do Partido Verde. O PV da região, se não é o mais forte e articulado, é o que obteve o melhor resultado. É terceiro mandato na Prefeitura. Já elegemos 10 vereadores somente em Atibaia. O partido cresceu muito na região, tem 4 prefeitos, 6 vices e em torno de 30 vereadores.  

AM - Qual é a plataforma política da campanha? O que vai ser proposto à sociedade? Em especial a que regiões?

BT: O momento é de construção da candidatura, é a fase de pré-convenção. Queremos um mandato com a participação de todos. Ouviremos todas as sugestões para construirmos os compromissos futuros.

Nossa plataforma política tem característica regional. É preciso considerar os eixos das rodovias Fernão Dias e D. Pedro.

Há características comuns sob vários aspectos. Se por um lado, as regras ambientais colocam aparentemente restrições - sejam elas para preservação de recursos hídricos, sejam para proteger as encostas de serra - por outro lado podemos tirar proveito e buscar um modelo de desenvolvimento que garanta prosperidade. Porém, sempre com ética e responsabilidade frente ao meio ambiente e às gerações futuras. Também somo a isso minha própria trajetória, minhas origens e a contribuição que pude dar até aqui, inovadoras e criativas em várias áreas.

AM - Como será feito o financiamento da campanha?

BT: Não acredito em candidaturas de cima para baixo, não me disporia a disputar uma eleição sem projeto coletivo. Se o projeto é coletivo, todos podem contribuir (a organização partidária, o grupo político, até o cidadão de forma espontânea). Nesses anos de governos pudemos construir o crescimento da riqueza e da qualidade de vida das pessoas. Já tivemos várias manifestações de apoio de vários segmentos.

Precisamos organizar as formas de contribuição e respeitaremos sempre a legislação eleitoral e os limites da ética e do bom senso.

AM - Quantos votos são necessários para se eleger?

BT: No PV a projeção está em torno de 50 mil. Na última foi pouco mais de 40 mil. Seguindo a mesma proporção, outros partidos terão projeção maior: PSDB/DEM, 100 mil, PMDB, 80 mil.

Nós temos característica de ter muitos candidatos que são lideranças regionais, com votação mais uniforme, fortalecendo a base. Tem sido assim nas últimas eleições. O PV foi um dos partidos que elegeu com menor número de votos.

AM - Se eleito, em 2012 vai se candidatar à Prefeitura, nesse caso deixando o cargo?

BT: Não. A candidatura e o mandato devem estar a serviço de projeto coletivo, com hora para começar, acabar e com metas a cumprir. Sempre fui político de grupo e honrei e cumpri tudo o que desenhamos. Já tive oportunidade quando prefeito reeleito de me candidatar a Deputado, mas cumpri mandato.

Até agora servi ao prefeito Dr. Denig como colaborador, sem nenhum constrangimento em relação a hierarquia, ou pensando que estaria “abaixo” do cargo que já ocupei. Sempre quis somar e contribuir com o nosso projeto coletivo.

AM - Qual o planejamento político para os próximos anos?

BT: Obtendo a indicação na convenção partidária, disputo as eleições a Deputado Estadual. Espero poder contar com a confiança da população, ser eleito e cumprir as diretrizes desse projeto.

AM - Depois de governar por 8 anos a cidade, como foi a experiência de assumir uma pasta específica, com atuação mais restrita?

BT: Foi atuação técnica baseada em metas e objetivos traçados pelo prefeito Denig, baseados nas dificuldades que a secretaria apresentava e desafios que cidade exigia. É uma secretaria que atua em planejamento, projeto, contratação e fiscalização de serviços e obras. Não é, nem foi, tarefa fácil. Mas fizemos o enfrentamento necessário para colocar Atibaia em padrões e regras contemporâneas, modernas, para o desenvolvimento da cidade, que é a que mais cresce, desenvolve, gera empregos e atrai empreendimentos na região. O bom empreendedor respeita o meio ambiente, as características, a cultura local e quer regras definidas e definitivas.

AM - Como você avalia o governo Denig?

BT: Muito bom governo! Não é à toa que em um ano de governo obteve vários reconhecimentos, seja o selo município verde azul, amigo da cultura, esporte e juventude, além do selo de prefeito empreendedor.

As entidades que dão esses prêmios, como o Sebrae e a Abrinq, são muito sérias. Elas fazem avaliações em vários aspectos: planejamento, execução, gestão e metas.

Sou suspeito para falar porque sempre acreditei na eleição do Dr.Denig e que ele faria um governo competente e diferente, mas, dentro dos mesmos princípios que sempre nortearam o PV e o grupo político. Ele honra isso e é muito atuante.

Como secretário, pude atuar junto com a equipe comandada por Denig. Todos unidos contra as dificuldades e demos exemplo durante o período de crise financeira mundial e também o episódio das enchentes. Denig é o líder de uma equipe unida contra os desafios.

Essas vitórias são prenúncios de que vem muita coisa boa pela frente. E quero ajudar nesse processo, inclusive, na reeleição de Denig. Por tudo isso, busco a indicação para Deputado Estadual.

AM - Quais as principais conquistas e derrotas do cargo atual?

BT: Não tive derrotas. Tive dificuldades enormes para implantar novas regras e legislações. Outro ponto foi o período de chuvas, que superou o previsto. Isso atrasou a finalização de algumas obras, ainda que tenhamos entregue mais de 50 delas. Há em torno de 20 em andamento, 30 em licitação e 50 em fase de projetos. Há muitas obras que levam tempo para concluir porque não são obras comuns. Dependem muitas vezes de liberação de licença de vários órgãos. Também há interferência de instalações (drenagens antigas, esgoto, telefonia, energia, água). Outras, muitas vezes tratam de reforma/restauro, enfim...

A grande conquista foi trabalhar em equipe. Mudamos a cara da secretaria e temos grandes quadros, sejam de funcionários comissionados ou concursados. É uma secretaria técnica que a nova secretária, Ticiane Costa D’Aloia, vai assumir e concluir em todos seus objetivos, de acordo com as diretrizes do prefeito Denig.

AM – No mapa para a eleição de 2010, quais são os principais adversários políticos?

BT: Na cidade se colocam 3 forças. Uma mais conservadora, ligada a antigos governos da cidade. Outra ligada ao ex-prefeito de Bragança; e a terceira, que soma forças na Região, comprometida com o desenvolvimento sustentável, grupo ao qual eu pertenço.

São grupos definidos que na última eleição apresentaram candidatos.

O voto é livre e soberano. O cidadão vota, independentemente dessas divisões dos grupos políticos. O eleitor vai escolher o candidato que tiver melhores condições de representar nossos anseios e reivindicações. O que tiver mais possibilidade de ganhar, disposição de fazer, honrar, cumprir... Eu quero ser avaliado sob esse aspecto. Estou aberto ao debate.

Agradeço a oportunidade proporcionada pelo AtibaiaMania.

Situação da candidatura:

Veja também:

Beto Tricoli faz um balanço de seu governo

Censo da cidade

Resultado das últimas eleições

Matérias Especiais do Atibaia Mania

Site oficial da campanha

 
 
NA MÍDIA
   Notícias do dia
   Banco de Notícias
 
 
Newsletter
Cadastre-se
    Email:

DESTAQUES
 
Imóveis
Oportunidades para locação
   
Casarão no centro para qualquer tipo de negócio

Veja mais informaçães

 
Tecnologia
Baixe nosso app no seu celular e acesse as informações da cidade
 
Jornais
 
Clique aqui para acessar as versões digitais do Jornal Atibaia Mania
 
Especiais
 
Confira matérias exclusivas do Atibaia Mania
 
 
Desenvolvido para visualização em resolução mínima de 1024x768.